ENERGY
energia-inovadora-2024-rede-brasil-inovador-ecossistema-hub-startup-aldo-rosa-absolar-energy-summit-global-rio
rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-startup-ia-esg-hub-cni-cna-cnc-universo-totvs-sp-2
energia-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-hub-startup-absolar-gas-ibpg-rio-emtech-energy-mit
energia-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-hub-startup-eolica-brazil-windpower-bwp-informa

Grandes empresas possuem papel crucial no consumo consciente, afirma especialista

Grandes empresas possuem papel crucial no consumo consciente, afirma especialista

O consumo consciente se popularizou nos últimos anos, tanto é que uma pesquisa da Nielsen mostrou que 42% das pessoas estão mudando hábitos de consumo para reduzir o impacto ao meio ambiente. Em busca de uma vida sustentável, estão dispostas a pagar até 10% a mais por produtos socialmente conscientes, de acordo com a Network for Business Sustainability (NBS). Os dados evidenciam a necessidade das empresas se adequarem  a esta nova realidade, de forma a contribuírem para a preservação ambiental e sustentabilidade do planeta. 

Para Dione Manetti, CEO da Pragma Soluções Sustentáveis,  empresa engajada no desafio global de enfrentamento às mudanças climáticas, o consumo sustentável deve ser aplicado  nas grandes corporações desde a base. Quando se fala no desenvolvimento de produtos, apostar em práticas que minimizem o uso de recursos naturais e gerem menos resíduos e poluição são essenciais. 

“A tecnologia chega como uma grande aliada nessa questão, pois pode contribuir com a escolha de matérias-primas, otimizar o uso de água e reduzir a utilização de substâncias poluentes. A tecnologia também pode ajudar a aumentar a vida útil e a possibilidade de reutilização dos produtos ,  bem como sua reparação e  manutenção”, explica. 

A escolha  das embalagens dos produtos, também deve ser examinada com atenção. Além de um design ecológico, que considera durabilidade e reciclabilidade, é importante criar uma rotulagem com informações claras e transparentes, incluindo composição e impactos ambientais e sociais. Os certificados e selos  que informam e tornam públicos os compromissos das empresas também colaboram para promover o engajamento do consumidor . 

A pesquisa Retratos da Sociedade: hábitos sustentáveis e consumo consciente, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), apontou que metade dos consumidores verifica se o produto foi produzido de forma ambientalmente sustentável. Isso mostra como é crucial as empresas revisarem as estratégias para atender os desejos da população ao passo que contribuem com um consumo consciente. 

A atuação, no entanto, deve ir além, com medidas como, por exemplo,  a implementação de sistemas de logística reversa para coletar, reparar, recondicionar, reciclar ou descartar adequadamente os itens no final da vida útil, o que promove a economia circular e reduz o desperdício e poluição. 

“Precisamos pensar   para além da cadeia de suprimentos tradicional. Por meio da logística reversa, as embalagens e os produtos descartados podem voltar ao ciclo produtivo, para serem reutilizados ou reciclados, prolongando a vida útil dos materiais utilizados e diminuindo a necessidade de fabricação de novos itens. Com a logística reversa,  os materiais descartados são recuperados e enviados a centros de reciclagem, o que colabora para reduzir danos ambientais. Entre as maiores vantagens estão a menor emissão de gases do efeito estufa e a economia de recursos naturais”, enfatiza o executivo. 

Grandes empresas e o consumo consciente

Segundo Manetti, o consumo consciente e a logística reversa já são aplicados por grandes empresas brasileiras. A pesquisa inédita da Confederação Nacional da Indústria (CNI) com executivos confirma o posicionamento do CEO da Pragma, já que destaca que a sustentabilidade faz cada vez mais parte da estrutura organizacional da indústria brasileira, onde seis em cada 10 empresas têm área dedicada ao tema.

A Ypê, uma das maiores fabricantes de produtos de higiene e limpeza do Brasil, por exemplo, aderiu ao Programa Recupera, uma iniciativa de logística reversa estruturante desenvolvida pela Pragma, que garantirá a  recuperação de embalagens em quantidade proporcional a linha Ypê Green da empresa colocada no mercado. O escopo contempla a emissão do Certificado de Estruturação e Reciclagem de Embalagens em Geral, que comprova a retirada da mesma massa da Linha Green colocadas no mercado.

Outras ações das grandes empresas incluem parcerias em prol da conscientização, com apoio a ONGs; iniciativas de educação ambiental voltada  a consumidores; campanhas de incentivo a atitudes mais sustentáveis; e também relatórios de sustentabilidade, que têm como objetivo divulgar práticas e promover avaliação do desempenho ambiental e social em uma prestação de contas corporativa completa. 

O consumo consciente é uma tendência e deve ser uma pauta de atenção.  “Estar atento a essa realidade contribui para a imagem da empresa como um todo – criando colaboradores orgulhosos da organização que pertencem, conquistando ainda mais clientes e, por fim, atraindo investidores”, conclui. 

Sobre a Pragma

A Pragma Soluções Sustentáveis é um elo que conecta pessoas, instituições privadas, públicas e da sociedade civil para tornar o planeta sustentável por meio de serviços de logística reversa, projetos de impacto positivo na sociedade e economia circular. A Pragma é especialista em logística reversa de embalagens pós-consumo e oferece soluções para que as empresas cumpram suas obrigações legais.